Header Ads

NTAgora

Compartilhe:

AUTOESCOLA UTILIZAVA PRÓTESES PARA FRAUDAR CNH'S


A Polícia Civil aprendeu próteses de silicone utilizadas por uma autoescola de Araguatins, norte do Tocantins, para simular as impressões digitais de clientes que queriam tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).


A operação ‘Sílex’ foi deflagrada nesta sexta-feira (31) e apontou que proprietários da autoescola fraudavam as digitais dos clientes para garantir o trâmite do processo sem as aulas práticas, essenciais e obrigatórias para a emissão da CNH.

A investigação iniciou após a denúncia acerca de um suposto documento de habilitação falso. A equipe policial realizou investigações em torno desta CNH e chegou a uma autoescola que intermediava a emissão do documento.

Mandados foram cumpridos na cidade de Araguatins e São Bento. Além das próteses, foram apreendidos computadores, documentos de habilitação e inúmeros processos.

De acordo com o delegado Ênio Walcacer, muitos alunos sequer precisavam comparecer à autoescola, pois as aulas eram computadas pelo sistema de biometria de forma fraudulenta.

“Sendo comprovadas as fraudes na inserção de dados falsos, as pessoas que tiveram seus processos feitos com esse sistema poderão ter as habilitações canceladas, bem como a autoescola, alvo da operação, poderá perder inclusive a sua concessão de funcionamento”, afirmou.