Header Ads

NTAgora

Compartilhe:

MOTORISTAS DE UBER DE PALMAS PRATICAM ESTELIONATO COM CLIENTES



Motoristas de Uber estelionatários estão cobrando taxas extras para fazer corridas em Palmas. A prática é ilegal e pode configurar estelionato. Uma das vítimas foi o delegado Mozart Félix. 

Ele pagou para ir até o aeroporto, mas ao chegar ao destino, o motorista cobrou R$ 30, além do valor que o cliente já tinha pago ao pedir o serviço, por meio do aplicativo.

O aplicativo Uber informou que a cobrança por fora de qualquer valor diferente do que foi calculado pelo app e aparece na tela do usuário configura uma violação aos Termos e Condições da plataforma. Disse ainda que o usuário pode denunciar o condutor por meio do aplicativo. (Veja abaixo a nota na íntegra)

O caso aconteceu no último fim de semana, quando o delegado precisou do Uber para pegar um voo de madrugada para Brasília. Ele, então, chamou o primeiro motorista. Antes de buscar o passageiro, ele quis saber o destino. Segundo Mozart, ao descobrir que era o aeroporto, o condutor pediu um dinheiro por fora.

Veja a conversa registrada por meio de aplicativo:

Motorista: Eu moro no centro, pelo valor do app é complicado.

Delegado: Então por que aceitou? A cancele, então.


Motorista: Porque não aparece o destino, amigo.

Delegado: Vou dar print na conversa e encaminhar ao aplicativo.

Motorista: Ameaçando parceiro

Delegado: Não, só avisando mesmo.

Motorista: kkkkkkkk tá certo. Manda aí ta bom. Depois avisa para a PF. (sic)




Em conversa, motorista de Uber pede valor a mais para fazer corrida até aeroporto de Palmas — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O outro motorista levou o delegado, e no aeroporto também pediu um valor além do que já havia sido debitado no cartão do passageiro.


“Ele falou que eu desse mais R$ 30 em dinheiro para ele e ficava tudo certo. Eu me recusei a pagar aqueles R$ 30, porque eu já havia pago o aplicativo, que é o correto, e disse a ele que eu iria procurar a Delegacia do Consumidor para registrar a ocorrência, porque essa atitude é crime.”


A estudante Gabrielly de Oliveira passou por uma situação semelhante. Ela pediu um carro pelo Uber ao sair da faculdade, à noite, na avenida Teotônio Segurado, em Palmas. Segundo a estudante, ao chegar no destino, em Taquaralto, região sul da cidade, o motorista tentou cobrar uma taxa extra, alegando que era longe e já estava tarde.


“Eu dei uma nota de R$ 20 esperando receber R$ 5 de troco e ele me disse que seriam os R$ 20 e ele ficaria com os R$ 5 a mais e eu não aceitei. Foi o famoso ‘vai que cola’.


Sem saber que estava sendo gravado, um motorista confirmou que a prática é comum. “Cobrando a mais, você sabe como é. Vou explicar para você: lá não compensa ir, porque você vai lá, leva a pessoa e cobra R$ 25, R$ 30. Aí para voltar, você volta vazio, não compensa. Mas não pode cobrar a mais, cobra o que era para ter pego só.”


A Delegacia do Consumidor promete investigar as denúncias. “Eles aproveitam a oportunidade, que sabe os horários dos voos e vê que a vítima está agoniada para chegar até o aeroporto. Então eles fazem o que eles querem, só que não é por aí. Eles vão ter que responder pelo crime que eles estão cometendo”, disse a delegada Rosa Travassos.

Por G1/TOCANTINS