Header Ads

NTAgora

Compartilhe:

PRISÃO DE POLICIAL MILITAR É DECRETADA DEPOIS DE ASSASSINATO DE MULHER



O Juiz da Vara de Execuções Penais de Gurupi, Ademar Alves de Souza Filho, decretou a prisão preventiva do Sargento da Polícia Militar Edson Vieira.
O PM é suspeito de dois homicídios e de uma tentativa na cidade. Ele está internado em um hospital particular porque ficou ferido ao cair de uma motocicleta durante uma suposta perseguição de policiais civis.

Junto com Vieira, no veículo, estava o sargento Gustavo Teles, que foi baleado durante a abordagem e morreu. Exames de balística da perícia da Polícia Civil indicam que os tiros que mataram Nataniel Gloria de Medeiros e Neuralice Pereira de Matos partiram da arma do sargento Vieira.

Os crimes ocorreram com poucos minutos de diferença. A Polícia Civil afirma que os dois militares tentaram fugir quando perceberam a aproximação da equipe após os disparos do segundo crime. Esta versão foi negada pelo sargento durante o depoimento dele. Ele afirma que estava apenas dando uma carona para Teles quando foram abordados pelos policiais civis.

A Polícia Militar informou que acatará as decisões da Justiça, dando "fiel cumprimento às determinações legais". Disse ainda que é interesse institucional que sejam apuradas as posturas dos dois PMs envolvidos e que tem prestado todo o apoio necessário à Polícia Civil no sentido de colaborar com as investigações.

Repercussão



Em velório de PM, policial diz que guerra vai continuar e delegados se sentem ameaçados

O caso gerou grande atrito entre membros das polícias Civil e Militar do estado. Um vídeo gravado durante o velório de Gustavo Teles mostra um outro policial da mesma companhia afirmando que "os combatentes vão continuar a guerra que o sargento começou".

Delegados de Polícia Civil interpretaram a fala como uma ameaça. Após a divulgação do vídeo, o delegado que fez o primeiro atendimento do caso resolveu deixar o estado.

O caso

A polêmica começou na noite de segunda-feira (22) quando duas pessoas foram mortas por homens em uma motocicleta em Gurupi. Enquanto atendiam a primeira ocorrência, os policiais civis disseram ter identificado dois suspeitos em uma moto.

Durante abordagem, o sargento da PM Gustavo Teles foi baleado e morreu. O outro ocupante da moto era o sargento Edson Vieira. Ele está internado e deve responder pelos dois homicídios registrados antes da abordagem.

Durante depoimento Vieira negou envolvimento nos assassinatos, mas a Polícia Civil afirmou que a perícia técnica confirmou que a arma dele foi usada nos dois crimes.


Por G1