Noticias do Tocantins

Thursday, 22 de February de 2024
MENU

Ciência & Tecnologia

Onda de calor acima dos 40º será registrada em vários Estados, inclusive no Tocantins

Onda de calor acima dos 40º será registrada em vários Estados, inclusive no Tocantins

Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Uma onda de calor, causada por uma massa de ar quente, deve tomar conta do Brasil nos próximos dias, principalmente na segunda metade desta semana. O Distrito Federal e os estados de Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Rondônia, Amazonas, Pará, Tocantins, Bahia, Piauí e Maranhão se preparam para temperaturas acima dos 40°C.

Por outro lado, a passagem de mais uma frente fria aumenta as chances de formação de nuvens de chuva sobre o Rio Grande do Sul. Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul também podem receber as precipitações, mas as chances de isso acontecer e o nível das chuvas são bem menores.

Mas o destaque da semana realmente vai para as altas temperaturas. Os meteorologistas apontam a falta de chuva para Rio de Janeiro, Vitória, em Belo Horizonte e grande parte de Minas Gerais. Em pontos específicos, há chance de chuva. Em São Paulo, os termômetros vão marcar acima de 35 °C, com possibilidade de os 40°C serem atingidos.

O mesmo acontece no Centro-Oeste. No Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, são esperadas temperaturas entre 40°C e 45°C. “O nível de calor esperado para os próximos dias em muitas áreas do território brasileiro atingirá patamar extremamente perigoso à saúde e à vida com elevado risco para população vulnerável, como enfermos e idosos”, adverte a MetSul Meteorologia.

Nas regiões Norte e Nordeste, segundo o site Climatempo, o calorão continua. Haverá pancadas de chuvas em áreas localizadas, como o litoral do Maranhão até o norte do Ceará, assim como Amazonas, Roraima, Acre e Rondônia.

A maior temperatura registrada oficialmente até hoje no Brasil foi de 44,8°C em Nova Maringá, Mato Grosso, em 4 e 5 de novembro de 2020, superando o recorde também oficial de Bom Jesus, Piauí, de 2005, de 44,7°C. Recordes mensais, e em algumas cidades até absolutos, podem cair neste evento de calor extremo.

A cidade de São Paulo é um dos locais em que a temperatura pode testar ou bater recordes de temperatura. Serão muitos dias de calor intenso a extremo no estado de São Paulo. Em alguns, a temperatura ficará perto ou acima de 40ºC no interior e na capital há chance de marcas tão altas quanto 37ºC a 39ºC. Assim, não se pode descartar que a cidade de São Paulo e outras cidades paulistas tenham recordes históricos de máximas não apenas para setembro como absolutos para toda a série histórica.

Calor e baixa umidade

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para baixa umidade na maior parte do País. Um território que abrange quase todo o Sudeste e o Centro-Oeste e parte do Nordeste, do Norte e do Sul está em alerta.

A maior temperatura registrada oficialmente até hoje no Brasil foi de 44,8°C em Nova Maringá (MT) em 4 e 5 de novembro de 2020. "Recordes mensais, e em algumas cidades até absolutos, podem cair neste evento de calor extremo", prevê a MetSul.

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo faz previsões semelhantes. Na segunda-feira, 18, o tempo continua seco e ensolarado. Os termômetros variam entre 17°C e 33°C.

Os índices de umidade continuam baixos, com valores abaixo dos 30% no período da tarde. O cenário deve se manter na terça-feira 19.

Não há previsão de chuva em São Paulo nos próximos dias. O CGE alerta ainda que essas condições meteorológicas dificultam a dispersão de poluentes, além de favorecer a formação e propagação de queimadas, o que prejudica a qualidade do ar principalmente nos grandes centros urbanos.

BOLHA TRARÁ CALOR EXCEPCIONAL

Uma bolha de calor, que se denomina também de domo ou cúpula de calor (em Inglês é chamada de heat dome) ocorre com áreas de alta pressão que atuam como cúpulas de calor, e têm ar descendente (subsidência). Isso comprime o ar no solo e através da compressão aquece a coluna de ar.

Em suma, uma cúpula de calor é criada quando uma área de alta pressão permanece sobre a mesma área por dias ou até semanas, prendendo ar muito quente por baixo assim como uma tampa em uma panela. Esta bolha de calor de agora vai estar com seu centro entre o Paraguai e o Centro-Oeste do Brasil.

É, assim, um processo físico na atmosfera. As massas de ar quente se expandem verticalmente na atmosfera, criando uma cúpula de alta pressão que desvia os sistemas meteorológicos – como frentes frias – ao seu redor. À medida que o sistema de alta pressão se instala em determinada região, o ar abaixo aquece a atmosfera e dissipa a cobertura de nuvens. O alto ângulo do sol de verão combinado com o céu claro ou de poucas nuvens aquece ainda mais o solo.

 

Fonte: Portal AF Noticias

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!